quinta-feira, outubro 20, 2011

Memória Morta




Quando adentro em meu silêncio, faço uma viagem particular e mergulho em mim, como se estivesse diante de um espelho, cujo reflexo não é mais reconhecido por mim. Percebo que não sou mais o mesmo, e que minha mente se tornou um museu de boas e más lembranças de outra vida. 
Vejo que ainda me falta algo [ ou seria alguém? ] para me fazer reconhecer este estranho reflexo no espelho. E vou esperando pacientemente por isto, da mesma forma que uma criança espera a mãe na porta da escola ao fim da tarde. E isso é tudo que posso fazer, esperar!

Um comentário:

dea iana disse...

Cuidado pra não esperar demais e não saber voltar "sozinho pra casa"